Painel Temático 04

Imprimir

Moreira, Tatiana Aparecida - As novas reelaborações da arte de grafitar

. Publicado en Painel Temático 04

Autoria Moreira, Tatiana Aparecida
Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.
Título As novas reelaborações da arte de grafitar
Sessão PT04. Visual discourses in public spaces

Resumo

Este trabalho insere-se em nossa tese de doutorado, realizada na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar/São Paulo/Brasil), na qual nos propomos a analisar raps brasileiros do grupo Racionais MC’s, de São Paulo, e de MV Bill, do Rio de Janeiro, fazendo uma análise comparativa, do ponto de vista linguístico, discursivo e estilístico, com produções portuguesas, vinculadas ao grupo Mind da Gap e a Boss AC. Como pressupostos teóricos e metodológicos, utilizamos os estudos do Círculo de Bakhtin (1995, 2003, 2013) sobre dialogismo, autoria, exotopia, entre outros conceitos, e de Michel Foucault (1995, 1997, 2002a, 2004) sobre relações de poder e resistência. E como raps estão inseridos no contexto do movimento Hip Hop, também dedicamos capítulo em nossa tese para abordar esse movimento cultural, bem como seus elementos (rapper ou MC, DJ, grafite e break). Nesse sentido, neste trabalho, vamos focar o grafite, enquanto materialidade verbo-visual, tendo em vista que “a dimensão verbo-visual da linguagem participa ativamente da vida em sociedade e, consequentemente, da constituição de sujeitos e identidades” (BRAIT, 2010, p. 193). Assim, em especial, o nosso foco tem como base cidades nas quais o grafite faz parte da cena urbana, como São Paulo, Rio de Janeiro e Lisboa. Vamos observar, então, como iniciativas governamentais e/ou particulares redesenham o contorno dessa manifestação cultural, a partir de projeto da Secretaria Municipal da Cultura da Prefeitura de São Paulo que visa a ter grafites numa extensão de 5,4 quilômetros, entre a região da Vila Mariana até a região da Sé; do reconhecimento do grafite como arte urbana pelo Decreto GrafiteRio, assinado pelo prefeito do Rio de Janeiro, no dia 18 de fevereiro de 2014; e do projeto “Lisbon Street Art Tour” que é um roteiro para mostrar grafites de artistas locais e de outros países nas ruas de Lisboa.