Oficina de Análise de Dados 03

Imprimir

Promenzio, Luany - Os diferentes usos e significados da casa

. Publicado en Oficina de Análise de Dados 03

Autoria Promenzio, Luany  (Universidade de Coimbra)
Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.
Título Os diferentes usos e significados da casa
Sessão OAD03. Estrategias comunes para el análisis de datos cualitativos: énfasis en discursos y sociedades en movimiento

Resumo

Situando a casa como um objeto sociológico, pretendo refletir sobre o significado da casa, e dos seus usos, envolvendo diferentes dimensões (culturais, temporais, demográficas, socioeconômicas e políticas), utilizando uma abordagem dos modos de vida e das formas de uso, como forma de compreender como as variáveis “significado da casa” e “significado do uso” se relacionam. Entendendo a complexidade que envolve todas as questões e, principalmente, por considerar diferentes dimensões, a metodologia a ser utilizada será do tipo qualitativa, contando com a realização de entrevistas em profundidade, com as técnicas das “histórias de vida”, como instrumento de recolha de dados que privilegia os informantes enquanto fonte essencial de acesso ao vivido e de conhecimento das subjetividades que as condições objetivas podem trazer aos discursos. Dentro desse ponto de vista, é necessário rejeitar todos os modelos automáticos e mecânicos para explicar os estudos da casa compreendendo que a aplicação às dimensões geográfica, psicológica, material, social e cultural e individual devem ser consideradas simultaneamente (Lawrence, 1993). Nesse sentido, a análise empírica será mais atenta e detalhada, visando destacar as variações individuais das disposições de cada indivíduo entrevistado, de acordo com seu percurso biográfico, em relação aos diversos contextos sociais que o autor transita (Lahire, 2005), utilizando a análise do discurso com a aplicação da ferramenta de análise de dados do MAXQDA. É desse ponto de vista que pretendo relacionar os usos e as relações sócio-afetivas. Para isso, no entanto, é preciso também reconhecer a necessidade de um corpus empírico abrangente e diversificado, que contemple diferentes perfis socioeconômicos, de modo a permitir uma generalização (ainda que limitada) das conclusões, assim como garantir uma adequada diversificação e saturação dos objetos empíricos; ou seja, deve ser obtido um número significativo de casos, para que o corpus de casos permita retirar conclusões seguras e abrangentes (Bertaux 1999).